Como a gente bem já falou anteriormente, Inbound Marketing não tem fórmula. Poderia dizer que ele é como uma ferramenta que dispõe de muitos recursos e a única fórmula recomendada é a de saber usá-los combinados a generosas porções de criatividade, conhecimento de mercado e investimentos bem planejados.

 

fórmula inbound marketing

 

Mas o Inbound Marketing não é extremamente focado em vendas?

É também! Mas se você enxerga todas as possibilidades que o Inbound te oferece como ferramenta, descobre que é um aliado poderoso para aproximá-lo do seu público, ouvir o que eles têm a dizer e para posicionar-se.

Não dá pra ficar preocupado só com a última etapa do funil ou da jornada do cliente, é preciso estar presente e curtindo a relação das outras etapas. Se você não acha isso importante, talvez mude de opinião até o final desse texto.

Sabe por que? Por que eu vou falar de como o Inbound Marketing é a ferramenta certa para um momento em que humanizar as marcas é uma urgência (lembra do texto que a Dani Klein escreveu sobre o valor do contato humano no Marketing?). 

Quando ouvimos sobre humanizar marcas entendemos que não se trata de “usar a humanização”, ou seja, apenas fazer mudanças de abordagem, como trocar a foto do hambúrguer por um vídeo do chef ensinando a prepará-lo (embora provavelmente isso também possa fazer parte do processo). A humanização começa exatamente quando você entende a sua marca como um indivíduo a se relacionar com o mundo e com os outros. Portanto, não basta trocar a roupa, mas sim passar por uma transformação que vai do interior para o exterior.

Namastê! A marca legal e confiável que existe em mim saúda o potencial cliente que existe em você! Vamos conversar?

Chegou um novo tempo. As pessoas não só compram das marcas, elas se relacionam com as marcas. O seu público está de olho e é por isso que percebe quando você se posiciona nas redes sociais sem alinhar esse posicionamento aos valores – e comportamentos – da empresa.

A necessidade de humanização está pulsando tanto aqui que podemos falar em comportamento empresarial. Você já pensou em como a sua empresa se comporta? Como ela tem se relacionado com o meio?

Relacionamento de marca

Entenda que as relações estão mudando. O mundo está mudando. Tudo está mudando! E talvez você – profissional do Marketing ou marca, esteja se debatendo para permanecer o mesmo e se adaptar sem dor a estas mudanças. Já parou para pensar que o esforço de expressar uma “falsa mudança” pode ser maior do que embarcar na mudança de verdade? Aceita que dói menos! Sem contar a infinidade de profissionais que existem para te ajudar a fazer isso.  😉

Então tá! Vamos falar da sua marca, mas vou falar de forma tão “humanizada” que talvez você entenda que precise começar a terapia. Você (sua marca) é um indivíduo a se relacionar com o mundo e com os outros. Até aí está ok, né? Vamos começar fazendo algumas perguntas pra ele:

  • Que tipo de indivíduo você é ou quer ser?
  • Quem e como são as pessoas com quem você tem se relacionado ultimamente?
  • Quais são os interesses que vocês têm em comum? (Vamos avaliar esse match!)
  • Como você acha que as pessoas com quem você se relaciona te enxergam?
  • Você já perguntou para elas o que elas acham de você e da relação de vocês?
  • O que você fez nos últimos meses para estar perto delas, mantendo um relacionamento saudável?
  • Esse é o momento da tecnologia e dos multimeios, mas também da humanização, da sustentabilidade  e solidariedade: você se enxerga fazendo parte desse movimento?

 

humanização das marcas

 

Essas questões já vão te dar muito o que pensar e talvez até contribuam com alguns insights sobre a sua marca e a maneira com que ela tem se comportado. Mas, não pense que você vai ficar desamparado depois disso tudo. Eu vou estar aqui no próximo texto pra gente discutir cada uma. 😉

 

Você pensou em mais alguma pergunta para identificar como sua marca tem se comportado? Conta pra mim!

 

Mariana Klein – Chief Strategy Officer: Graduada em Psicologia pela Faesa, com formação em TCR pelo Interage; pós-graduanda em Economia Comportamental (ESPM). Possui certificação em Inbound Marketing, AdWords, Analytics e SEO.