Você já deve ter visto várias empresas oferecerem conteúdos e eBooks nas redes sociais. Muitos deles parecem não estar relacionados diretamente aos produtos ou serviços que elas oferecem, certo? Mas já parou para se perguntar o motivo?

Bom, a oferta de conteúdos em geral, como eBooks, infográficos e o incentivo para se cadastrar e receber algum material, por exemplo, faz parte do chamado Inbound Marketing, ou o que muitos conhecem como o “novo marketing”.

Isso mesmo: esses conteúdos têm o poder de conectar marcas e pessoas, potencializam o engajamento e aumentam as vendas. Mas como isso é possível? E como se chegou a esse modelo?

Simples! Com a presença em massa das pessoas no meio virtual, aumento das ferramentas de busca, mídias sociais, blogs (sim, eles não morreram – estão mais vivos do que nunca!) e demais tendências da internet, houve uma transformação no processo de compra de produtos e serviços.

Diante desse contexto, as equipes de Marketing e Vendas se tornaram complementares. Não que antes não fossem. Mas é sempre bom lembrar: passou a época em que uma era considerada mais importante que outra, não é verdade?

Awesome Go Team GIF by Studio Flox

 

Equipe de Vendas e de Marketing

No Inbound Marketing, portanto, o foco é atrair visitantes para a plataforma online, seja site ou blog, e gerar leads (pessoas interessadas em determinado produto ou serviço) para o time comercial. O lead, que agora já conhece a empresa e tem interesse em saber mais sobre o produto ou serviço, é considerado uma oportunidade de venda e, então, é repassado ao vendedor.

 

O processo de Inbound Marketing

Mas, para isso, é necessário percorrer um caminho até que esse lead esteja preparado para comprar o produto. Esse processo se dá em quatro etapas: atrair, converter, vender e encantar. Ou seja, nada de focar direto na venda e muito menos esquecer o lead que virou cliente após finalizá-la. A nossa missão como analistas de comunicação e amantes do Inbound Marketing é encantá-lo e torná-lo embaixador da marca.

Algumas formas de alcançar esses objetivos e que podem ser considerados três grandes pilares dessa estratégia são: SEO (otimização para mecanismos de busca), Marketing de Conteúdo e Estratégias em Redes Sociais.

 

Funil de vendas

E antes que eu me esqueça, isso não é tudo. Há, ainda, o chamado funil de vendas. Ele existe para auxiliar a jornada do cliente e envolve todo o seu processo de decisão, desde a busca por informações gerais até o momento em que efetua a compra de um produto ou serviço relacionado à sua busca.

Isso se dá em três etapas do funil de vendas, ou, como também é chamado, jornada de compra. O topo representa os momentos do aprendizado e das descobertas do problema; o meio, as considerações e o interesse na solução; e o fundo, avaliação e decisão de compra.

Para ilustrar, como em um funil de verdade, é no topo que se concentra o maior número de pessoas, por isso a importância de uma produção maior de conteúdo nessa etapa (cerca de 80%), enquanto no meio e fundo de funil, os 20% restantes.

 

E aí, agora ficou mais claro o que é Inbound Marketing? Vale lembrar que o trabalho deve ser realizado em conjunto com outros processos, como o diagnóstico do cliente, planejamento e o trabalho de netnografia.

 

Tayla Oliveira – Analista de Comunicação: Formada em Comunicação Social/Jornalismo, possui MBA em Comunicação Integrada e Novas Mídias, Curso de Mídias Sociais: do planejamento à Execução e Gestão de Mídias Sociais pela Fundação Espírito-Santense de Tecnologia e curso de SEO para conteúdo pela Wis Educação.